Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

Pequenos gestos que valem ouro

Todos sabemos que poupar é essencial e que devemos poupar água e luz e usar transportes públicos...

Sim, este é mais um artigo sobre dicas de poupança mas...além das medidas óbvias que todos já sabemos de cor, sugerimos outras que muitas vezes nem consideramos, mas que na verdade, podem significar umas boas notas extra no mealheiro.

Antes de mais achamos pertinente começar  por sugerir que trace objectivos. Desde contribuir para um maior conforto financeiro futuro, fazer face a situações inesperadas como um problema de saúde ou situação de desemprego ou ainda cumprir desejos tão diferentes como comprar uma casa, abrir um negócio próprio, aumentar a familia ou mesmo disfrutar de umas merecidas férias, são razões mais do que suficientes para considerar a importância da poupança e encarar de forma diferente o seu rendimento disponivel.

 Comecemos então:

1)      Elabore um orçamento

Acreditamos que controlar as receitas e as despesas é o 1º passo para começar a poupar.

Anote tudo começando pelas despesas fixas (água, luz, gás, prestação/renda da casa/carro, condominio, seguros, combustivel/passe, mensalidade da escola/actividades extracurriculares, alimentação...). De seguida, contabilize também os gastos menores como os cafés, aquele bolo que gosta tanto a meio da tarde, a ida ao cinema, a revista semanal com a capa apelativa...

Vamos ao extremo de sugerir que indique a data da despesa, o produto e o seu valor, pelo menos nos primeiros meses e que coloque à frente de cada despesa (a vermelho) se a mesma é essencial ou supérflua.

Desta forma, terá melhor noção de quanto ganha, quanto gasta e onde pode cortar.

Adicione ainda três campos: um de poupança, outro de gastos extra (consulta, avaria no carro, reparação em casa...) e um de mesada.

Poderá elaborá-lo numa folha excel, aplicação ou mesmo no tradicional bloco de papel.

2)      Ganha  1000 €? Então não gaste 1001€

Se gastar mais do que aufere, o saldo negativo passará para o mês seguinte, sendo retirado do ordenado seguinte que entretanto também não irá chegar... Analise microscópicamente o seu orçamento sobretudo no que respeita a despesas fixas e tente reduzi-las cortando coisas de que não necessite verdadeiramente, pelo menos até por as contas em ordem. E porque não aumentar as suas receitas? Venda coisas de que já não necessita ou por exemplo se tem jeito para artesanato, porque não vender coisas online?

3)      Grão a grão...

Transfira sempre para uma conta poupança 5 a 10% do que ganha, no início de cada mês, mantendo este dinheiro bem longe da conta corrente, para não haver tentações.

Pode até ter de recorrer a esta verba caso surja alguma emergência, mas apenas em último caso.

Tenha em mente que é conveniente ter em caixa pelo menos o equivalente a 6 meses de ordenado para que se possa sustentar em caso de desemprego.

4)      O desafio do NADA de NADA

Escolha 3 dias do mês (um no início, outro a meio e outro no final do mês) para não gastar literalmente nada. Nem uma simples agulha! O dinheiro que for poupando coloque no mealheiro (moedas de 1 cêntimo também são muito importantes). Vai ficar surpreendida com o que conseguiu amealhar e pode sempre desfrutar da pequena poupança quer para suprir dificuldades que possam surgir ou preferencialmente com coisas que lhe dêm prazer como uma ida ao cinema, uma peça de roupa nova, uma massagem num dia de maior stress...

5)      Seja um consumidor inteligente

Pense bem antes de comprar. Caso seja algo que precise mesmo, compare preços entre lojas.Vai ver que consegue aquele produto a um melhor preço.

Planeie as compras do mês para saber o que realmente é essencial.

Quando for ao supermercado,  não saia de casa com fome ou sem lista de compras e limite o número de idas ao supermercado.

Experimente as marcas brancas, há imensos produtos de boa qualidade muitas vezes a metade do preço. Também os folhetos promocionais e vales de desconto devem ser contemplados, mas com cautela, pois muitas das vezes acabamos por gastar muito mais do que podemos ou queremos.

Uma outra sugestão é planear as refeições semana a semana, de forma a fazer uma boa gestão do que tem em casa, evitando desperdícios.

Estratégia: fazer uma compra logo que receba o ordenado, contemplando produtos que possam ser congelados como peixe e carne, mercearia que conserve como arroz, massa, enlatados,leite, cereais (entre outros) e produtos de higiene e limpeza (estes produtos devem chegar para um mês).

Semanalmente terá apenas de comprar produtos frescos como fruta, legumes, pão, produtos de charcutaria ou produtos de que necessite pontualmente. Nestas compras mais pequenas dê preferência a mercados, frutarias ou pequenas superficies evitando tentações típicas de hipermercados.

6)      Reduza o gasto com detergentes. Como?  Damos 2 exemplos.

Sabia que o vinagre é desengordurante, desinfetante e deixa as superficies brilhantes?  Experimente juntar 3 copos de água com vinagre num vaporizador e tire as suas conclusões.

Também o sabonete liquido pode ser substituido por gel de banho. O efeito é o mesmo e se optar por uma marca branca, sai muito mais barato.

7)      Poupe água fechando a torneira enquanto lava os dentes, a loiça ou quando se ensaboa no banho, a poupança ao fim do mês é expressiva.

8)      Reduza a fatura da eletricidade trocando as lâmpadas convencionais por lâmpadas económicas ou de baixo consumo. Tenha atenção aos consumos fantasma! Apague sempre a luz quando sair do local onde está e deslique os eletrodomésticos evitando o estado Stand by. Se comprar equipamentos, opte por modelos energeticamente mais eficientes.

9)      Pequenos-almoços, almoços ou jantares fora de casa, quem não gosta?

Numa base diária são um problema para o orçamento. Faça mais refeições em casa, convide os amigos para jantar, leve marmita para o trabalho/escola e mini lanches, como fruta, iogurte, frutos secos e até uma guloseima de vez em quando, para que o seu estômago se sinta sempre reconfortado ao longo do dia. Não significa isto que deva banir restaurantes e café da sua lista, mas sim visitá-los ponderadamente de acordo com as suas possibilidades.

Levante-se uns minutos mais cedo, e descansadamente tome o pequeno almoço em casa enquanto lê as primeiras noticias da manhã ou ouve a sua música favorita e, aos fins de semana, mime-se com um pequeno almoço fora, vai ver que até aprecia melhor o momento.

10)  Divirta-se e muito! Recorra à sua criatividade e encontre alternativas mais baratas ou mesmo grátis. Sabe aquele café depois de jantar? Substitua-o por uma caminhada. Quer almoçar fora e não sabe onde? Prepare uma cesta com um refeição agradável e faça um pic-nic. Vá à praia, aventure-se (de forma segura) pelos trilhos de uma serra, consulte o Portal Nacional dos municipios e freguesias ou as agendas culturais dos municipios/freguesias, há imensos eventos e actividades que ocorrem perto de si, muitos deles gratuitos e que lhe passam desercebidos.

11)  Sopinha...Sempre!  Além de ser meio caminho andado para uma boa silhueta e de ser bastante saudável  também a carteira agradece. A sopa aumenta a sensação de saciedade o que leva a que não coma tanta quantidade no segundo prato.

12)  Gosta de ler? Troque livros com os seus amigos, recorra a bibliotecas ou a plataformas que disponibilizam gratuitamente livros, com a devida autorização dos autores. Experimente a entrar no mundo dos e-books. Sabemos que não há nada como um bom livro impresso na nossa mão, mas à falta de melhor...

13)  Apesar do conforto proporcionado pelo carro, se calhar os transportes públicos até são uma boa opção. Além de poupar em combustivel, portagens e manutenção do seu veiculo, também poupa paciência e pode sempre aproveitar o tempo de viagem para ouvir música, ler um livro, jogar um jogo no telemovel, fechar os olhos e descontrair até ao seu destino. O ambiente também agradece.

14)  Também as telecomunicações absorvem uma boa fatia do seu orçamento. Analise bem o mercado, veja o que as outras operadoras têm para oferecer e pondere se o que subscreveu é mesmo necessário face ao contexto em que se encontra.

15)  Limpe com frequência o frigorífico, evitando a acumulação de gelo que consequentemente aumenta o gasto de energia. Ainda na cozinha, aproveite o calor do fogão/forno nos 5 minutos finais do cozinhado, desligando-o. O calor acumulado vai  continuar a ser libertado nos minutos seguintes.

16)  Guerra às multas! Recorra diáriamente à sua agenda (em papel ou formato eletrónico), para que nenhum pagamento ultrapasse o prazo limite, seja relativo às Finanças, Segurança Social, Colégio ou qualquer outra instituição. Mesmo assim esquece-se? Crie alarmes para que em último caso, ainda vá a tempo de regularizar a situação.

17)  Natal e Aniversários podem ser grandes inimigos das nossas finanças. Sugerimos que esteja atento aos saldos e boas oportunidades e que compre com antecedência, mesmo que as datas especiais ainda estejam à distância de meses. Pode também aventurar-se no mundo do do it yourself e fazer verdadeiros brilharetes...ou não.

18)  Coloque o cartão de crédito num sitio quase inacessível, dando sempre preferência ao cartão de débito. Os cartões de crédito se não forem utilizados com muita responsabilidade e rigor, podem ser catastróficos, funcionando como autênticas bolas de neve.

Boas poupanças!

POR: PNMF




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Ajude a divulgar este artigo, Partilhe!
908 PARTILHAS / VISITAS

PODERÁ GOSTAR DE LEROUTROS ARTIGOS EM DESTAQUE




DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO / QUESTÃO SOBRE ESTE TEMA: