Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

Freguesia de Alfena - Municipio de Valongo

Menu da Freguesia

Alfena ou São Vicente de Alfena é uma freguesia e cidade portuguesa do concelho de Valongo (município da área Metropolitana do Porto e da Região do Norte ) com 15,7 km de área e 15 211 habitantes (2011) . Densidade: 1370,4 hab/km.


A freguesia encontra-se dividida em 21 lugares: Aldeia Nova (e Santeiros), Baguim (e Fontinha), Barreiro (de Baixo e de Cima), Cabeda , Codiceira, Costa, Ferraria, Gandra, Igreja (e Vila), Lombelho, Outeiro, Pedrouços, Punhete, Reguengo, Ribeiro, Rua, Transleça, Trás-do-Casal, Várzea, Vilar (e Telheiras) e Xisto (e Outeirinho).


O documento datado mais antigo que se conhece sobre Alfena data de 1214, e nele D. Stefanina fala dos Leprosis de Alfena.


Nas Inquirições de 1258, ordenadas por D. Afonso III, a freguesia é mencionada como São Vicente de Queimadela, sendo composta por 4 lugares: Ferrarias (a norte), pertença do Rei e da Gafaria; Baguim (a ocidente), pertença da Comenda de águas Santas e do Rei; Caveda (a sul), pertença do Rei e do Mosteiro de Santo Tirso; e a villa du2019Alfena e Traslecia (ao centro e oriente) pertença, na sua totalidade, da Gafaria.


Em 1287, o Mosteiro de Santo Tirso cede o direito de padroado sobre a paróquia de sacti Vicentij de Queimadela, nas Terras da Maia, ao Bispo e Cabido da Sé do Porto.


Alfena seria uma Honra (terra de fidalgos e isenta de poder real) de D. João Pires da Maia (ou João Pedro da Maia), o qual a terá legado à Gafaria (hospital para leprosos). Em 1307, D. Dinis confirma a Honra na Freeguesia de sam vicente da queimadella ho Paaço dalffena como terra dos gaffos (Leprosos).


Em 1466, o Cabido da Sé do Porto cede ao Bispo o direito de padroado sobre as paróquias de são Vicente de queimadella, terra da Maya e Santa Marya de Campanhãa.


O foral manuelino às Terras da Maia (1519) faz várias referências ao lugar de Cabeda e às Ferrarias, à Igreja de São Vicente dalfena e ainda à freguesia de san Vicente de Vagoim que estava sujeita à pena de sangue.


Em 1542, no Censual da Mitra do Porto, D. Baltazar Limpo, Bispo do Porto, refere-se à igreja de San Vicente de Alfena de Queimadela e, no ano seguinte, o mesmo bispo cede o direito de padroado sobre a paróquia de sam Vicente de Alffena, terra da Maya ao Colégio do Carmo da Universidade de Coimbra, sendo abade e reitor de Alfena, seu irmão, Melchior Limpo.


Em 1706, na sua obra Corografia Portuguesa, o Pe. António Carvalho da Costa refere-se a São Vicente de Alfena nos seguintes termos: Chama-se villa de Alfena à arruada e tem pelourinho, dizem o foi antigamente.


Em 1747, o Pe. Luís Cardoso, no seu Dicionário Geográfico, refere-se a Alfena nos seguintes termos: De presente tem huma rua que corre de norte a Sul, em espaço de mil passos pouco mais, ou menos, estrada que foy de muita concorrência para a Cidade do Porto, Villa de Guimarãens, e Província de Traz os Montes; porém haverá trinta e seis annos se cortou esta estrada por detrás da dita rua, para a parte do Occidente, por ser mais breve, e limpa, e os moradores do lugar de Vallongo, distante desta freguesia huma légua, ainda fazem pela dita rua passagem pu00fablica. Esta Rua conserva ainda o antigo nome de Alfena, e tem no meyo seu Pelourinho, que por descuido dos officiaes pu00fablicos da Justiça se vai cada vez arruinando mais, e mostra pela sua factura ser obra antiga. (u2026) Su00f2mente no que respeita às sizas reconhece sogeição esta Freguesia ao Ouvidor do concelho da Maya, por ser este Juíz das Sizas. No mais tem ela seu Ouvidor particular, que conhece de coimas, e acções de pouca quantia: tem seu procurador da Ouvidoria, Meirinho, que também serve de Porteiro, dous Quadrilheiros e quatro Jurados, tudo por eleição do povo , e confirmação do Senado do Porto: tem almotacé, que serve dous mezes, e desta sorte se vai seguindo por todo o ano, que conhece da almotaçaria, feito, e confirmado da mesma forma. He esta freguesia cercada de largos montes e muy altos, principalmente para o Nascente, e Norte, com alguns vestígios de fortificações, e grandes fossos, que mostrão ser em algum tempo minas donde se tirarão metaes. Ficalhe no meyo a serra de Santa Margarida(u2026)


Como bem refere o Pe. Domingos A. Moreira, na sua obra Alfena, a terra e o seu povo, Alfena seria uma vila filial e sufragânea da da Maia.


Em alguns assuntos, Alfena dispunha de juiz próprio e respondia directamente ao Senado do Porto. Alfena era, também, sede de uma Companhia de Ordenanças.


Com o Liberalismo, em 1836, é criado o concelho de Valongo, no qual Alfena é integrada, tendo acolhido a sede do concelho, na Primavera de 1838, na sequência de tumultos ocorridos em Valongo após o lançamento de novos impostos sobre a carne, vinho e azeite, e por ser de Alfena o então Administrador do Concelho (representante do Governo), Manuel da Silva Marques, sendo por essa altura novamente designada de vila.


Em Dezembro de 1867, o Governo de Joaquim Augusto de Aguiar decreta uma nova Reforma Administrativa e Alfena é integrada num novo Concelho de Rio Tinto. Esta medida foi, entretanto, revogada no mês seguinte pelo novo Governo presídido pelo Duque de ávila, voltando Alfena a integrar o Concelho de Valongo até aos dias de hoje.


Em em 30 de Junho de 1989, Alfena foi (novamente) elevada a vila por deliberação do plenário da Assembleia da Repu00fablica.


No dia 6 de Abril de 2011, por deliberação do plenário da Assembleia da Repu00fablica, Alfena é elevada, finalmente e por unanimidade, à categoria de cidade.


Do Pelourinho, símbolo da antiga villa, que em 1747 já apresentava sinais de degradação, hoje nada resta, mas pelas descrições que chegaram até nós, ele ficaria situado no cento do actual lugar da Rua, na confluência das estradas reais Porto-Guimarães e Alfena-Valongo (hoje, Rua de São Lázaro e Travessa do Moinho).




Fonte: Wikipedia


Conteúdo Brevemente Disponível

Entidades Públicas Nesta Freguesia

Estabelecimentos de Ensino Nesta Freguesia

Forças de Segurança Nesta freguesia

Empresas Nesta Freguesia

Centro Ciência Viva de Vila do Conde

O Centro Ciência Viva de Vila do Conde está situado numa antiga cadeia do início do século XX de arquitetura invulgar. O edifício foi adaptado às novas funções, conservando algumas memórias do passado. Este centro de ciência tem como temas principais a água e o sangue.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Morada:
Avenida Bernardino Machado, 96
4480 - 657 Vila do Conde
GPS: 41.3543357849, -8.7340288162
(+351) 252 633 383

Horários:
10h - 13h e das 14h - 18h (terça a sábado)
Aberto aos domingos para grupos superiores a 10 pessoas com marcação prévia
Saber mais sobre Centro Ciência Viva de Vila do Conde

Galeria da Biodiversidade - Centro Ciência Viva

Situada num dos locais mais emblemáticos do Porto – o Jardim Botânico, a Galeria da Biodiversidade constitui-se como o primeiro Centro Ciência Viva dedicado especificamente à biodiversidade.

Um espaço onde a arte se cruza com a biologia e a história natural, estimulando uma panóplia de experiências sensoriais, propositada e cuidadosamente concebidas para celebrar a diversidade da vida, a Galeria da Biodiversidade é o primeiro espaço museológico do mundo criado de raiz segundo a filosofia da museologia total.

Neste local, os visitantes poderão encontrar um conjunto exemplar de 49 módulos expositivos e instalações, muitos dos quais desenvolvidos ou adaptados especificamente para a sua exposição permanente, que se organizam em 15 temas principais através dos quais se abordam os mais variados aspectos da diversidade biológica e cultural que hoje conhecemos. Com funcionalidades e características sem paralelo a nível mundial, e devidamente enquadradas numa gama extraordinariamente rica e diversificada de recursos museográficos, que vão desde modelos mecânicos até às mais sofisticadas plataformas multimédia e audiovisuais, esta nova e única plataforma cultural convidará os visitantes a embarcar numa viagem através da ciência, literatura e arte, durante a qual serão contadas as mais belas histórias sobre a vida.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Morada:
Rua do Campo Alegre, 1191
4150-181 Porto
GPS: 41.1536598206, -8.6425714493
(+351) 220 408 727

Horários:

Galeria da Biodiversidade:
10h00 - 18h00 (terça a domingo)

Jardim Botânico do Porto:
10h00 - 18h00 (todos os dias)
09h00 - 19h00 (Horário de Verão - 1 de Abril a 30 de Setembro)
Encerra apenas nos dias 25 de Dezembro e 1 de Janeiro

Saber mais sobre Galeria da Biodiversidade - Centro Ciência Viva

Planetário do Porto - Centro Ciência Viva

O Planetário do Porto foi construído em 1998 com a missão de promover a cultura científica junto da população, bem como proporcionar aos jovens, sobretudo através da astronomia, a motivação para a ciência e a tecnologia e a oportunidade de iniciação à observação e experimentação.

A sua programação, animação e gestão científica são do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto. Tem uma cúpula de 12,5 m de diâmetro. Em 2015 o sistema de projeção foi totalmente renovado, convertendo-se ao digital.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

Morada:
Rua das Estrelas
4150 - 762 Porto
GPS: 41.1507186890, -8.6406564713
(+351) 226 089 800

Saber mais sobre Planetário do Porto - Centro Ciência Viva

OS CIRCUITOS CIÊNCIA VIVA

Os Centros Ciência Viva integram um programa de turismo do conhecimento - os Circuitos Ciência Viva - que o desafia a explorar 18 destinos em Portugal com o que de mais único pode descobrir. Em família ou com amigos, são mais de 200 as etapas que revelamos contando histórias, explicando factos, fenómenos e despertando para novas perguntas.

Partindo de cada Centro Ciência Viva, estas viagens cruzam museus e monumentos, parques e reservas naturais, grutas e minas, ateliês e oficinas, experiências de aventura e paisagens singulares.

Durante um ano, com um cartão, um guia e uma app, pode visitar gratuitamente os 20 Centros Ciência Viva, as vezes que quiser, e usufruir de vantagens em mais de 200 parceiros de todo o país.

É um presente para a família explorar durante um ano, com o espírito curioso dos viajantes.

Saiba mais aqui sobre os Circuitos Ciência Viva

Publicado em: 2018-11-08

Entidade Recrutadora:
SLOT Recursos Humanos
Oferta na região de:
Porto

TAGS: Transportes e Logistica