Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

Comiss-o de Prote--o Civil acompanha evolu--o da Covid-19

Reuniu na passada sexta-feira, dia 6 de novembro, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho, a Comissão Municipal de Proteção Civil. Dirigida pelo presidente da Câmara Municipal e Presidente da Proteção Civil Municipal, Francisco Alves, nesta reunião estiveram presentes 12 representantes das entidades que integram a Comissão.Estiveram ainda, a convite do presidente da Câmara, a vereadora Carla Lousada, e representantes do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto e da Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa. No início desta reunião, o presidente da Câmara saudou e agradeceu a presença de todos, salientando a importância da cooperação de todos os agentes da Proteção Civil no combate à COVID-19. Em cima da mesa estiveram a avaliação da informação relativa à evolução epidemiológica ocasionada pela doença Covid-19 e a adoção de medidas que permitam uma permanente monitorização e acompanhamento da situação no concelho. Nesta reunião, a Comissão de Proteção Civil emitiu parecer favorável à adoção de um conjunto de medidas para o acompanhamento e monitorização permanecente da pandemia no concelho, designadamente: reforçar a articulação com os Serviços de Saúde, os Serviços de Saúde Pública, o Instituto da Segurança Social e a GNR de Cabeceiras de Basto para o acompanhamento e recolha de informação relativa à situação do surto epidémico em curso; manter o acompanhamento e a monitorização em permanência dos planos de contingência dos agentes de proteção civil do município e de outras entidades cooperantes de modo a manter a sua capacidade operacional; reforçar a articulação com os agentes de proteção civil para a disponibilização de equipamentos e recursos materiais necessários para o eventual acolhimento operacional e logístico de meios de reforço de socorro e sanitários e, em caso de necessidade, o acolhimento temporário de um centro de operações integrado para todos os recursos municipais; reforçar a sensibilização e informação à população relativa às medidas e recomendações emanadas pela Autoridade de Saúde no âmbito da resposta à pandemia; reforçar as ações de caráter preventivo, pedagógico e fiscalizador à população relativas às medidas legislativas produzidas no âmbito da resposta à pandemia; constituir uma reserva estratégica de recursos materiais e equipamentos de modo a manter a resposta operacional municipal; manter-se como parceiro proativo no planeamento antecipado e acompanhamento de ações da ajuda aos munícipes, nomeadamente no que se refere ao apoio psicológico, apoio social, segurança, recolha e entrega de bens essenciais e medicamentos e à disponibilização de infraestruturas públicas; bem como manter a monitorização e apoio das situações de risco social através da Comissão Municipal de Pessoas Idosas de Cabeceiras de Basto, da Régie Cooperativa Basto Vida, dos Serviços Municipais de Ação Social e Saúde e em articulação com os Serviços de Saúde locais, as Juntas de Freguesia, o Instituto da Segurança Social, a GNR e as IPSS´s concelhias. Relativamente à evolução epidemiológica e no que se refere às medidas adotadas desde o início, no combate à pandemia, o Coordenador Municipal de Proteção Civil, Luís Freitas, deu a conhecer todo o trabalho desenvolvido por parte dos Serviços Municipais de Proteção Civil que contaram com a colaboração e cooperação dos Serviços de Saúde Pública, dos Serviços de Saúde Primários e demais agentes de Proteção Civil, Ação Social e Saúde. Referimo-nos ao acompanhamento dos planos de contingência das estruturas residenciais de idosos e das unidades de internamento; apoio ao centro de rastreio COVID-19 instalado pela Câmara Municipal e que, desde abril até 6 de novembro, já realizou 1106 testes; atendimento de linha telefónica específica para a marcação de testes com o apoio do CLDS 4 G – Vivências; identificação de pessoas isoladas com a colaboração da GNR e das Juntas de Freguesia; apoio na implementação de regras de segurança na feira semanal; bem como a instalação de três centros de retaguarda COVID-19 – no Complexo Florestal da Veiga, na Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha Portuguesa e no Basto Vila Hotel. A Delegada de Saúde de Cabeceiras de Basto, Fátima Dourado, evidenciou o facto de o ACES do Alto Ave ser um dos que se encontra em situação mais grave, com grande número de doentes infetados, ativos e em isolamento, salientando que em Cabeceiras de Basto a situação se encontra sob controlo (115 casos positivos acumulados desde o início da pandemia e, em 6 de novembro, com 37 casos ativos, 48 em isolamento, 6 mortos e 43 doentes curados). Realçou que é fundamental apostar na educação da população para as regras de prevenção e contenção da COVID-19 e reconheceu que os Serviços Municipais de Proteção Civil têm feito um bom trabalho. Por seu turno, o Coordenador da Unidade de Saúde Familiar ‘O Basto’, Maia Ramos, apontou a necessidade de se apostar nas campanhas de sensibilização e educação. A representante do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, Augusta Cristina, fez uma exposição sobre a situação vivida nos estabelecimentos de ensino, ao passo que Sérgio Nunes da Delegação do Arco de Baúlhe da Cruz Vermelha informou a Comissão de que, a partir da próxima semana, serão realizados testes rápidos na instituição. O Presidente da Câmara e Presidente da Proteção Civil Municipal apelou à GNR para uma maior vigilância com o objetivo de se desincentivarem comportamentos de risco.



ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Ajude a divulgar esta noticia, Partilhe!

92 PARTILHAS / VISITAS

EM DESTAQUEÚLTIMAS NOTÍCIAS DE Cabeceiras de Basto - VER TODAS

RECEBA DIARIAMENTE AS NOTÍCIAS E EVENTOS DE
Cabeceiras de Basto

Registe aqui seu email para receber diariamente as últimas notícias e os próximos eventos a decorrer neste concelho.