Portal Nacional dos Municípios e Freguesias


81&170; Volta a Portugal Santander

Numa edição de regressos, há 30 anos que a Avenidas dos Aliados não recebia o final da prova, faz-se homenagem à tão carismática Serra da Estrela que volta a ter um final de etapa na Torre.

O município de Viseu que se assume como tendo a “Melhor Cidade para Viver”, foi o escolhido para dar as boas vindas à 81ª edição da Volta a Portugal Santander. Esta será a terceira vez na história, depois de 2010 e 2015, que as pedaladas iniciais da prova começam em Viseu, autarquia que, desde sempre, é umas das mais ativas no acolhimento da Volta. As primeiras emoções têm partida e chegada na Avenida da Europa, no último dia de julho, com um prólogo de 6km.

A primeira etapa acontece na terra da Chanfana, prato típico à base de carne de cabra e marca a estreia de Miranda do Corvo na Volta a Portugal. Os trepadores hão de ficar alerta logo nos primeiros quilómetros na Serra da Lousã onde está uma contagem de primeira categoria. O percurso acidentado de 174.7km passa ainda por Alvaiázere e Pombal até chegar a Leiria, cidade que já foi final de etapa da Volta 18 vezes.

Com o primeiro fim-de-semana de agosto à porta acontece a etapa mais longa desta edição. São 198,5km com início na Marinha Grande que após 29 anos regressa à Volta. O final da “maratona” vai ser empinado em Santo António dos Cavaleiros, freguesia do município de Loures, às portas da capital. Esta autarquia, à semelhança da Marinha Grande, não recebia a prova desde 1990.

Ao quarto dia o pelotão regressa à zona centro do país numa viagem quase tão longa como na véspera. São 194,1km de percurso alternado entre as duas margens do Rio Tejo, com partida de Santarém. O destino é a “veterana” cidade de Castelo Branco que já recebeu 38 chegadas da Volta a Portugal, a última há dois anos.

No domingo, 4 de agosto, será a vez da vila de Pampilhosa da Serra se estrear na Volta a Portugal Santander e logo como ponto de partida da considerada etapa Rainha que termina na Serra da Estrela. Este ano, a batalha faz-se numa jornada de 145km com cinco contagens de montanha. A escalada final pela vertente da Covilhã termina na Torre, o que já não acontece desde 2015.

Antes do dia de folga, os derradeiros 158km da fase inicial da prova começam em Oliveira do Hospital e subir continuará a ser a palavra de ordem. Parte desta quinta etapa será feita nas faldas da vertente norte da Estrela. No fim, as dificuldades da ascensão à Guarda, a cidade mais alta de Portugal, deve deixar o pelotão ainda com mais expectativas sobre o dia de repouso.




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Ajude a divulgar esta noticia, Partilhe!

32 PARTILHAS / VISITAS

EM DESTAQUEÚLTIMAS NOTÍCIAS DE Póvoa de Varzim - VER TODAS

RECEBA DIARIAMENTE AS NOTÍCIAS E EVENTOS DE
Póvoa de Varzim

Registe aqui seu email para receber diariamente as últimas notícias e os próximos eventos a decorrer neste concelho.