Portal Nacional dos Municipios e Freguesias

Freguesia de Falagueira - Venda Nova - Municipio de Amadora

Menu da Freguesia

Falagueira foi uma freguesia portuguesa do concelho da Amadora, com 1,48km de área e 14 531 habitantes (2011). Densidade: 9 818,2 hab/km.

 

Até 12 de julho de 1997, a freguesia era designada por Falagueira-Venda Nova; nessa altura, a Venda Nova tornou-se uma freguesia independente, tomando a Falagueira o seu actual nome.

 

Foi extinta em 2013, no u00e2mbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Venda Nova, para recriar a freguesia denominada Falagueira-Venda Nova.

 

Tem como Santa Padroeira Nossa Senhora da Lapa.

 

Caracterização

Foi desmembrada da anterior freguesia da Amadora, aquando da sua elevação a município (em 17 de Setembro de 1979, por secessão do concelho de Oeiras), e que resultou da reorganização administrativa que levou à repartição da anterior freguesia da Amadora em sete (Alfragide, Brandoa, Buraca, Damaia, Falagueira-Venda Nova, Mina e Reboleira).


A freguesia foi reordenada em 12 de Julho de 1997, pela Lei 37/1997, sendo extinta e surgindo em seu lugar duas novas:
a Falagueira e a Venda Nova. Foi recriada em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, integrando o território das antigas freguesias de Falagueira e Venda Nova e voltando a designar-se Freguesia da Falagueira - Venda Nova.

 

Uma breve história de dois grandes espaços

A Falagueira é um dos núcleos populacionais mais antigos da Amadora, como é atestado por algumas ilhas de arquitetura tradicional da região saloia, como é o caso da que resta da antiga aldeia da Falagueira.

A história da Falagueira ficou ligada à rede de comunicações anterior à construção do caminho de ferro, com o aparecimento, na Porcalhota, de serviços de apoio à circulação, no local do entroncamento das atuais Rua Elias Garcia (antiga estrada de Sintra ou Estrada Real) e Estrada da Falagueira. Surgem, assim, por exemplo, o Chafariz da Porcalhota e o antigo Pedro dos Coelhos, casa de pasto referida por Eça de Queirós no livro Os Maias. 

O território da Venda Nova pertenceu à freguesia de Benfica até esta ser amputada, em 1886, da parte exterior à nova Estrada da Circunvalação de Lisboa. A estrada passou a construir o limite fiscal da capital, consubstanciado com a construção das Portas de Benfica, posto onde a guarda fiscal cobrava taxas pela entrada em Lisboa de mercadorias provenientes dos concelhos limítrofes.


Conteúdo Brevemente Disponível

Entidades Públicas Nesta Freguesia

Forças de Segurança Nesta freguesia

Empresas Nesta Freguesia

VEJA TAMBÉM!