Portal Nacional dos Municipios e Freguesias

Freguesia de Àguas Livres - Municipio de Amadora

Menu da Freguesia

Águas Livres é uma freguesia portuguesa do concelho da Amadora com 2,21 km² de área e 37 340 habitantes (2011). Densidade: 16 895,9 hab/km².

Foi constituída em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, integrando o território da antiga freguesia da Damaia, a parte Sul da antiga freguesia da Reboleira e a parte Norte da antiga freguesia da Buraca.

O termo de Aqueduto das Águas Livres, atribuído ao Aqueduto que abastecia a cidade de Lisboa, provém do facto de água circular livremente nas caleiras do aqueduto, movendo-se por ação da gravidade, uma vez que o monumento vai diminuindo progressivamente de cota, desde as nascentes, até Lisboa. Na segunda metade do século XIX, foram introduzidas no Aqueduto geral condutas de águas “ forçadas”, como então se designava as tubagens de águas que poderiam conduzir as águas através de diferentes cotas, desde que fossem sempre inferiores ao reservatório que as alimentava.

 

O Aqueduto abastecia-se de várias nascentes e aquedutos subsidiários, desde a zona da Caneças e Carenque, e atravessa todo o Município em direção a Lisboa, entrando na cidade pela Buraca. Tem segmentos subterrâneos e aéreos, de forma a manter um declive constante nas condutas de água, independentemente da topografia dos terrenos que atravessa. Fora de Lisboa, o troço mais monumental do aqueduto situa-se na Damaia, onde as caleiras correm em cima de 19 arcos, o maior dos quais com 18 metros de altura.

 

Definição de Limites:

Norte - Avenida Dom José I, Linha de Caminho-de-ferro, Rua das Fontainhas, Estrada Militar; Nascente - Limite de Concelho. Sul - IC19/A37; Poente - Avenida Conde Castro Guimarães.

Integra os aglomerados: Reboleira Sul, Damaia-de-Cima e Damaia-de-Baixo, Cova da Moura e Núcleo antigo da Buraca.

Nota Descritiva e Justificativa

Com cerca de 2,21Km2 compreende uma área de grande integração física e funcional onde se esbate a linha de fronteira entre a Reboleira Sul e a Damaia de Cima, para a qual em muito contribuíram as novas urbanizações que prolongando a malha existente, facilitaram a mobilidade interna e ao exterior e valorizaram a presença de equipamentos coletivos que outrora detinham uma posição periférica e que hoje são espaços estruturadores de vivência urbana (ES Azevedo Neves, etc.)

A Damaia de Baixo articula-se funcionalmente com a Damaia de Cima, sendo a estação de caminho-de-ferro e interface de transportes um fator de convergência de fluxos internos.

O Bairro da Cova da Moura, de construção ilegal, ocupa uma posição central neste território e é objeto de um plano de pormenor portador de um modelo de intervenção com capacidade de integrar a resolução dos problemas sociais, de melhoria das condições de vida dos residentes e simultaneamente transformar o bairro num espaço com qualidade urbana.

O Bairro da Buraca foi estruturado pelo eixo ferroviário, no entanto a articulação física e funcional é natural em todo este território e foi reforçada com a reformulação das infraestruturas viárias que promoveu fluxos inclusivamente os pedonais. Esta proximidade contudo, não obstou a que os centros de proximidade se tivessem afirmado com autonomia.

A contiguidade física e a acessibilidade a Lisboa também promove o relacionamento funcional com Benfica.

Pode afirmar-se que é um território permeável física e funcionalmente com o qual a população estabelece uma relação identitária.

 

A freguesia de Águas Livres é uma das três freguesias do concelho da Amadora situada a sul do caminho-de-ferro da Linha de Sintra. É limitada a norte pela freguesia da Falagueira-Venda Nova, a sul por Alfragide, a oeste pela Venteira e a este pela de Benfica (Lisboa). Devido à reforma administrativa que agregou diversas freguesias, foi criada a 28 de Janeiro de 2013, formada por partes das extintas freguesias da Buraca, Damaia e Reboleira.

A comissão instaladora tomou posse a 6 de Junho de 2013. A 23 de Outubro tomou posse o primeiro executivo da Junta saído das eleições de 29 de Setembro.

O dia da freguesia é comemorado a 23 de Outubro.

A freguesia é limitada a norte pela linha férrea e a sul pelo IC-19 e possui 4 aglomerados populacionais:

  • Buraca;
  • Damaia de Baixo;
  • Damaia de Cima
  • Reboleira;

É a mais pequena freguesia do concelho da Amadora mas a segunda mais populosa. Com uma área de 2,21 km2 e 37.340 habitantes, segundo dados de 2011, possui uma densidade populacional de 16.896 hab./km2 , muito superior à média do concelho (7.362 hab./km2) e uma das maiores a nível nacional. Em Setembro de 2014 possuía 32.054 eleitores (31.233 nacionais, 22 estrangeiros da União Europeia e 799 estrangeiros de outros países).

 

Acessibilidades

A freguesia de Águas Livres é servida por duas importantes vias rodoviárias da área metropolitana de Lisboa:
  • IC-17 que liga Algés à Ponte Vasco da Gama percorre toda a fronteira oriental da freguesia ao longo dos aglomerados populacionais da Buraca e da Damaia de Baixo;
  • IC-19 que liga Lisboa a Sintra percorre toda a fronteira sul da freguesia ao longo dos aglomerados populacionais da Buraca, Damaia de Cima, e Reboleira;
 
É também atravessada pelo caminho-de-ferro da Linha de Sintra que entra na freguesia pela Buraca-Damaia de Baixo e sai pela Reboleira em direcção ao centro da Amadora. É o último troço da linha que divide a Reboleira da freguesia da Falagueira-Venda Nova.
 
Existem duas estações dentro da freguesia:
  • Estação de Sta.Cruz-Damaia – situada entre a Buraca, a Damaia de Cima e a Damaia de Baixo, possui também uma saída para a Rua Principal da Cova da Moura, servindo assim toda a população da parte oriental da freguesia. Originalmente eram duas estações (Sta.Cruz de Benfica e Damaia) relativamente próximas o que levou a que fossem desmanteladas no final do século passado e construída uma nova entre as duas;
  • Estação da Reboleira – situada no aglomerado populacional com o mesmo nome é a última estação antes da Amadora para quem vem de Lisboa. Estão em curso obras de ampliação da linha azul do metropolitano e sua extensão desde a Amadora-Este até à Reboleira pelo que quando estiver pronta dotará a freguesia de um importante interface que permitirá aos habitantes deslocarem-se com maior rapidez até vários pontos da cidade de Lisboa;
 
Dos vários arruamentos dentro da freguesia, destacam-se quatro pela sua extensão e importância:
  • Av.República – Possuindo uma faixa separadora central e duas vias para cada sentido, inicia-se em Alfragide, entra na freguesia de Águas Livres pela Buraca, circunda todo o bairro da Cova da Moura e termina na Praça das Águas Livres na Damaia de Cima;
  • Av.D.João V – Possui faixa separadora central mas uma só via para cada sentido. Inicia-se na Praça das Águas Livres e atravessa toda a Damaia de Cima no sentido sul-norte;
  • Av.D.Carlos I – Tem o seu início na Praça das Águas Livres e liga a Damaia de Cima à Reboleira ao longo da linha de caminho-de-ferro e passando pela estação da Reboleira;
  • Av.D.José I – Serve de fronteira entre a Reboleira Sul e a Reboleira Norte e consequentemente entre a freguesia de Águas Livres e a Venteira. Inicia-se junto ao Estádio José Gomes e sobe até ao cruzamento do Borel;
 
A freguesia é ainda servida pelas seguintes carreiras de autocarros da Carris e da Lisboa Transportes:
  • Buraca – 711, 750, 754, 764 e 799 (Carris) e 108, 144 e 185 (Lisboa Transportes);
  • Damaia de Baixo – 711, 746 e 767 (Carris) e 109, 162 e 186 (Lisboa Transportes);
  • Damaia de Cima – 711 e 764 (Carris) e 108, 109, 144, 162, 185 e 186 (Lisboa Transportes);
  • Reboleira –20, 107, 113, 114, 144, 154, 185 e 186 (Lisboa Transportes);

Conteúdo Brevemente Disponível

Empresas Nesta Freguesia