Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

Coronavírus - Informações úteis e recomendações

Coronavírus - Informações úteis e recomendações

Publicado em: 2019-01-30

 

ADICIONAR ESTA PÁGINA AOS FAVORITOS

  

INFORMAÇÕES ÚTEIS E RECOMENDAÇÕES

 

Informação Geral 

Informação disponibilizada pelo Serviço Nacional de Saúde para resposta a perguntas pertinentes que têm como objetivo esclarecer a população sobre o novo Coronavírus da China.

O que é o novo coronavírus da China? 

O 2019-nCoV é o nome dado a um novo coronavírus que causa doença respiratória potencialmente grave, como a pneumonia. Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos na cidade chinesa de Wuhan, província de Hebei, tendo sido confirmados casos em outros países.

O que são os coronavírus? 

Os coronavírus são um grupo de vírus que podem causar infeções (normalmente associadas ao sistema respiratório) em pessoas e/ou em alguns animais, como pássaros e mamíferos (por exemplo morcegos, camelos e gatos).

Quando foi detetado o novo coronavírus na China? 

Segundo os dados publicados, no final do mês de dezembro de 2019 a Organização Mundial de Saúde foi alertada sobre vários casos de pneumonia na cidade de Wuhan na China. Após alguns dias, a 9 de janeiro de 2020, as autoridades chinesas confirmaram a existência de um novo coronavírus (2019-nCoV) na mesma cidade.

Qual é a origem deste novo coronavírus? 

Segundo as informações publicadas pelas autoridades internacionais, a fonte da infeção é desconhecida e ainda pode estar ativa.

A maioria dos casos está, associada a um mercado (Wuhan’s Huanan Seafood Wholesale Market) específico de alimentos e animais vivos (peixe, mariscos e aves) em Wuhan, que foi encerrado a 1 de janeiro de 2020.

Por esta razão, suspeita-se que o vírus seja de origem animal, mas não existem certezas. Os primeiros casos de infeção estão relacionados com pessoas que frequentaram este mercado, mas também já foram confirmadas infeções em pessoas que não o tinham visitado, existindo a necessidade de maior investigação.

Quais são os sintomas? 

Os sintomas associados à infeção pelo novo coronavírus (2019-nCoV) são:

Febre

Tosse

Falta de ar (dificuldade respiratória)

Em casos mais graves pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e eventual morte.

Como se transmite?

As formas de transmissão, deste novo coronavírus (2019-nCov), ainda estão em investigação pelas autoridades internacionais. A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada, embora ainda não se conheçam mais pormenores.

Qual é o período de contágio? 

Ainda é desconhecido o período de contágio. Já se sabe que o período de incubação da doença (até ao aparecimento de sintomas) é de 14 dias.

Qual é o tratamento? 

O tratamento para a infeção por este novo coronavírus é dirigido aos sinais e sintomas que os doentes apresentam.

Tenho de usar máscara para me proteger? 

A Direção-Geral da Saúde não recomenda, até ao momento, o uso de máscara de proteção para pessoas que não apresentam sintomas (assintomáticas).

Como me posso proteger? 

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde recomenda medidas de higiene, etiqueta respiratória e práticas de segurança alimentar, para reduzir a exposição e transmissão da doença:

Em que regiões é que se detetaram pessoas infetadas? 

Segundo os últimos dados disponibilizados pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) as regiões onde foram reportados casos laboratorialmente confirmados são:

ChinaTaiwanTailândiaJapãoCoreia do SulEstados Unidos da AméricaSingapuraVietnameNepalMalásiaAustrália e França.

Este coronavírus é igual aos outro vírus? 

Por se tratar de um novo vírus, e segundo as últimas informações das autoridades internacionais,

Evitar contato próximo com doentes com infeções respiratórias;
Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes; Evitar contato desprotegido com animais selvagens ou de quinta;
Adotar medidas de etiqueta respiratória:

tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos deitar o lenço de papel no lixo

Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir.
Não tendo sido confirmados casos em Portugal, não estão indicadas medidas específicas de proteção. ainda não existem dados suficientes para se ter um total conhecimento sobre este vírus. É necessário mais tempo e investigação para se conseguir estudar as suas características, as formas de transmissão, a gravidade das infeções que pode provocar e qual o tratamento mais adequado.

Já aconteceu algum surto com coronavírus? 

Sim. Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos. Exemplos disto foram:

Entre 2002 a 2003 a síndrome respiratória aguda grave (infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV)

Em 2012 a síndrome respiratória do Médio Oriente (infeção provocada pelo coronavírus MERS-CoV)

Existe vacina? 

Não. Atualmente não existe nenhuma vacina que proteja contra o novo coronavírus (2019-nCoV).

Posso viajar para a China? 

A Organização Mundial da Saúde não aplicou quaisquer restrições ao tráfego internacional, com base nas informações atualmente disponíveis. Em caso de viagem deve seguir todas as recomendações disponibilizadas para os viajantes. Aconselha-se ainda que os viajantes registem as suas viagens na aplicação Registo Viajante.

Quais são as recomendações para os viajantes com destino à China? 

Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país

Evitar o contacto próximo com doentes com infeções respiratórias agudas

Lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou partilha do seu espaço

Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir

Evitar o contacto com animais

Evitar o consumo de produtos de origem animal, crus ou mal cozinhados

Adotar medidas de etiqueta respiratória: ◦tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos
deitar o lenço de papel no lixo

No regresso da viagem, os viajantes regressados de Wuhan ou de outras áreas afetadas na China que apresentarem febre, tosse ou falta de ar, deverão evitar deslocar-se aos serviços de saúde e ligar para o SNS 24 (808 24 24 24), que está preparado para orientar e esclarecer o viajante e a população

Portugal está preparado para responder a uma situação de doença pelo novo coronavírus? 

Sim. Destacam-se os seguintes pontos:

Divulgação de comunicados diários no site da Direção-Geral da Saúde

O SNS 24 – 808 24 24 24 está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana para o esclarecimento de dúvidas e/ou triagem. Em caso de necessidade encaminhará para a unidade de saúde mais adequada

O Laboratório Nacional de Referência do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge está preparado para o diagnóstico laboratorial da infeção

O Instituto Português do Sangue e Transplantação adotou medidas para garantir a segurança do sangue e derivados

Os Hospitais de Referência, assim como o INEM, estão preparados para responder a eventuais casos da doença

As autoridades de saúde estão preparadas para fazer a vigilância dos contactos

Articulação permanente com instituições/organizações internacionais para adoção de outras medidas, em consonância com as recomendações que forem sendo emitidas pela Organização Mundial da Saúde e pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC).

As autoridades internacionais – Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) e a Organização Mundial da Saúde) – estão diariamente a atualizar a informação nos seus canais, pelo que esta poderá sofrer alterações frequentemente.

Os viajantes de Wuhan, Beijing, Guangdong e Shanghai que apresentarem sintomas sugestivos de doença respiratória, durante ou após a viagem, deverão procurar atendimento médico, informando sobre a sua história de viagem

Tenho um familiar ou amigo que regressou recentemente da China. Precisa de alguma declaração para voltar ao trabalho ou à escola? 

Não. A Direção-Geral da Saúde recomenda a vigilância dos sintomas respiratórios durante os 14 dias após o regresso da China.

Regressei da China. Será que devo estar preocupado? 

A Direção-Geral da Saúde recomenda a vigilância dos sintomas respiratórios (febre, tosse ou falta de ar)durante os 14 dias após o regresso. Se aparecerem sintomas deverá ligar para SNS 24 (808 24 24 24) antes de recorrer aos serviços de saúde.

Tenho um familiar ou amigo a viver em Wuhan. O que devo fazer? 

Deve acompanhar toda a informação que é disponibilizada pela Direção-Geral da Saúde. Esta entidade continua a acompanhar, atualizar e a validar a informação disponível sobre os casos de infeção pelo novo coronavírus (2019 n-CoV) em Wuhan, China. Pode ainda consultar mais informação nos portais das autoridades internacionais como o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) e a Organização Mundial da Saúde.

 

Apela-se à atenção de todos para a observância das situações acima descritas, que se adotem e divulguem as medidas preventivas enunciadas, com vista à mitigação dos riscos descritos e por forma a salvaguardar a proteção dos cidadãos e dos seus bens.

Autoria:

PNMF




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Ajude a divulgar este artigo, Partilhe!
2413 PARTILHAS / VISITAS

PODERÁ GOSTAR DE LEROUTROS ARTIGOS EM DESTAQUE