Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

A Lenda de Grândola

Grândola, pequena aldeia do Baixo Alentejo, com cerca de 45 habitantes em meados de 1527, reunia na altura uma enorme diversidade de caça tendo desde logo cativado o príncipe D. Jorge de Lencastre, filho do Rei D João II.

Era tanta a sua adoração por Grândola que muito por sua influência, passou cerca de 20 anos depois, de aldeia a vila. 

Naquela altura, a caça e a montada constituíam a verdadeira paixão do princípe que passava muito do seu tempo embrenhado no mato, exibindo orgulhosamente os seus feitos de caçador, no final do dia. Dada a sua predilecção pelo local, um palácio foi construído apenas para pernoitar quando lá fosse, no entanto, a sua preferência por Grândola era tal, que foi adoptando cada vez mais o dito palácio como sua residência na maior parte do tempo.

Ora um dia, contemplava D. Jorge a bonita vista do seu palácio, quando viu surgir um portentoso javali mesmo por baixo da sua janela.

Antecipando o belo manjar que daí adviría, D. Jorge convocou apressadamente os seus monteiros para que se desse início à perseguição ao animal, constatando porém que o seu mais fiel e competente caçador se encontrava ausente em Alcácer do Sal, numa audiência de justiça. Note-se que Grândola era bastante subdesenvolvida na altura, não reunindo quaisquer serviços, nem os de justiça.

Entretanto, o animal contemplado pela sorte ou destino, conseguiu escapar habilmente por entre o mato, deixando os seus perseguidores com uma enorme frustração.

D. Jorge ficou tão  agastado que justificou a situação com a ausência do tal caçador: Se ele não tivesse de sair de Grândola, o javali não teria a mesma sorte, pensou.

Desta forma, para evitar que os seus homens tivessem de se ausentar futuramente da aldeia, solicitou a D. João II que concedesse foral de vila e justiças a Grândola, que viu o seu estatuto ser alterado em meados de 1544.

A vila sofreu então uma enorme evolução, com casas e serviços a serem construídos, atraindo nobres e familias ricas que a adoptaram também como sua residência.

POR: PNMF




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Ajude a divulgar este artigo, Partilhe!
776 PARTILHAS / VISITAS

PODERÁ GOSTAR DE LEROUTROS ARTIGOS EM DESTAQUE




DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO / QUESTÃO SOBRE ESTE TEMA: