Portal Nacional dos Municípios e Freguesias

Alerta de mau tempo - Aviso à população - ajude a divulgar

1. ENQUADRAMENTO

Segundo as previsões meteorológicas para os próximos dias, o território nacional será afetado pela passagem de sucessivas depressões associadas a superfícies frontais com características que representam alguma severidade ao nível da probabilidade de ocorrência de precipitações intensas estas precipitações poderão acumular entre 60 mm a 100 mm em 48 horas. As acumulações ao longo da semana poderão ir dos 100 mm aos 150 mm.

Para os dias 20/21, para os distritos do centro e do sul, nomeadamente Santarém, Lisboa, Setúbal, Évora e Beja, embora no Barlavento algarvio também possam ocorrer prestações com algum significado e acumulações entre o 30-40 mm em 24 horas, com acumulados ao longo da semana entre os 50 e 70 mm.

Este padrão irá manter-se com período de transição até ao final de outubro, altura em que se prevê uma melhoria das condições atmosféricas paro os primeiros dias de novembro.

Desta forma, existe probabilidade de ocorrência inundações rápidas, alagamentos, infiltrações, queda de árvores e outros riscos associados a estas situações meteorológicas adversas, sobretudo nos locais historicamente mais vulneráveis e densamente povoados e impermeabilizados.

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>


Face à situação acima descrita, principalmente dia 19 de outubro, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;

  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;

  • Possíveis acidentes na orla costeira;

  • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia- mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;

  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos

    sistemas de drenagem;

  • Contaminação de fontes de água potável por inertes resultantes de incêndios rurais;

  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;

  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem. 3. MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO

    O Serviço Municipal de Proteção Civil da Marinha Grande recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;

  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;

  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais;

  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;

  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
    O Serviço Municipal de Proteção Civil recomenda a adequação dos comportamentos de mitigação de risco,

    nomeadamente a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução.

    Acompanhe a evolução das condições meteorológicas para os próximos dias, disponível no sítio da internet do IPMA (www.ipma.pt).