Portal Nacional dos Municípios e Freguesias


VAGA DE FRIO INTENSO - Siga estas recomendações e ajude a divulgar

Vagas de frio polar são massas de ar frio com origem nos Pólos, com temperaturas mínimas que podem ser negativas, que tem como consequências directas, a descida acentuda da temperatura, a formação de gelo e geada, em especial nas regiões do interior e a possível queda de neve, em especial nas terras altas.

 

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

Intoxicações por inalação de gases, devido a inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras;

Incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos;

Necessária especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas e população sem-abrigo  Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou acumulação de neve ou gelo;

A DGS recomenda ainda especial cuidado a quem utiliza lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos a gás, pedindo que seja feita a correta ventilação das divisões de forma a evitar a acumulação de gases nocivos à saúde.

Àqueles que são mais vulneráveis ao frio, crianças, idosos, doentes crónicos, principalmente com problemas respiratórios e cardiovasculares, e sem-abrigo a DGS recomenda que usem várias camadas de roupa adequadas à temperatura ambiente, além de luvas, gorros, meias quentes e cachecóis de modo a proteger as extremidades do corpo.

É ainda recomendado que a população ingira bebidas e alimentos quentes.

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente: 

Que se evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;

O uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;

A proteção das extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol);

A ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor;

Especial atenção com a proteção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior, e evitar esforços excessivos resultantes dessa atividade.

Especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex. braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte;

Que se assegure uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras;

Que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;

Que se tenha em atenção a condução em locais onde se forme gelo e neve na estrada, adotando uma condução defensiva;

Especial atenção por parte das famílias e vizinhos, e das redes sociais de proximidade, com as situações de pessoas idosas ou em condição de maior isolamento.

Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

 

Mais informações em www.ipma.pt

 




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>