Portal Nacional dos Municípios e Freguesias


Dieta da moda para o Verão - Quais os Riscos...

Com o Verão a aproximar-se a passos largos, muitas pessoas vão se submeter a dietas intensivas, tentando perder em alguns dias os quilos de um ano inteiro.


Esta prática não faz bem nem ao corpo, nem ao espírito.


Desta forma, alertamos para os perigos dessas soluções que acabam por se tornar em frustação.


As dietas da moda não fazem perder peso. Além de falharem no aspecto nutricional e proporcionarem baixa saciedade, essas dietas limitam a manutenção do peso a longo prazo, pois não permitem que as pessoas criem hábitos alimentares saudáveis e permanentes.


O que faz perder peso é a adoção de um estilo de vida saudável, que inclui mudanças de hábitos alimentares e exercícios físicos frequentes.

É preciso começar por separar os objetivos e as condições.

Imensas pessoas apenas querem perder uns quilos para entrar no mesmo biquíni (ou no mesmo calção) que vestiram no ano passado, por outro lado imensas pessoas sofrem de obesidade, que, não apenas incomoda na hora de se vestirem , mas também, e sobretudo, quando já lhes causa problemas graves de saúde.


O peso elevado aumenta a pressão arterial, mantém as gorduras do sangue elevadas, acresce o risco do diabetes.


Somados, esses fatores multiplica-se o perigo das doenças cardiovasculares, além de incomodar nos movimentos, deixa-nos a andar mais lentos e retira a elegância e o aspecto visual positivo que cada um de nós quer manter.

O facto é que medidas radicais para emagrecer rapidamente podem até levar a uma perda de peso nos primeiros dias, mas na maioria dos casos esse emagrecimento é temporário, pois foi resultado de uma alteração brusca na composição alimentar que causa  perda de água do corpo e não de gordura.


Assim que a alimentação normal seja retomada, esse líquido perdido retorna, trazendo o peso de volta. Além disso, um dos grandes fracassos dessas dietas está na falta de saciedade e boa nutrição, o que faz com que as pessoas passem fome e saiam muitas vezes desses regimes extremamente debilitadas, anêmicas ou com outra doença provocada por deficiência nutricional.


As dietas ditas "da moda", não têm nenhum fundamento científico e em muitos casos, pode trazer complicações como:


fraqueza, perda de massa muscular, desidratação, cansaço, aumento de colesterol, sobrecarga renal e hepática, doenças cardiovasculares, hipovitaminose, anemia ferropriva, hipoproteínemia, hiperproteínemia, aumento de ácido úrico, entre outros.


A chave para o emagrecimento é a mudança dos hábitos alimentares e essas dietas não contribuem para isso, fazendo com que as pessoas não consigam atingir seus objetivos.



Entre as várias dietas da moda temos:


DIETA DO DR. ATKINS (DIETA DAS PROTEÍNAS)
Característica: propõe a redução radical do consumo de carbohidratos (massas, pães, doces, açúcares); libera o consumo de carnes (principalmente vermelha), ovos, maionese, manteiga, gorduras em geral; tem cerca de 1000kcal/dia, sendo que praticamente metade das calorias provém de gorduras.
Aspectos negativos: causa deficiências de vitaminas e minerais pela proibição do consumo de frutas e vegetais; a dieta tem baixa adesão, devido a sintomas como fraqueza, cansaço, dores de cabeça e mau hálito; a baixa ingestão de fibras pode ocasionar constipação; o excesso de gordura pode levar a problemas cardiovasculares; também pode ocorrer o surgimento de diabetes, pela menor sensibilidade dos tecidos à insulina e à hiperplasia das células b das ilhotas pancreáticas.



DIETA DE SOUTH BEACH

Característica: é uma variação mais amena da dieta do Dr. Atkins. Estimula o consumo de gorduras monoinsaturadas (ex: azeite de oliva, amendoim, nozes); permite comer carnes, queijos, frango sem pele, bacon com moderação; a partir da terceira semana, introduz frutas, leite desnatado e carbohidratos integrais.
Aspectos negativos: apesar de ser uma das dietas que mais se equipara a uma dieta equilibrada, os aspectos negativos mostram-se semelhantes aos da dieta anterior. Os primeiros 15 dias são considerados “programas de jejum”, pois a dieta mostra-se extremamente proibitiva; podem ocorrer danos à saúde do ponto de vista clínico e nutricional; ocorrem perdas de água e sais minerais.

 


DIETA DO TIPO SANGUÍNEO

Característica: dieta criada por um médico americano chamado Peter James D’Adamo. Os alimentos são divididos em 3 categorias: benéfico, neutro e nocivo. As pessoas de sangue “O” seriam caçadoras carnívoras, as de sangue A seriam vegetarianas dóceis, sangue B seriam onívoros e sangue do tipo AB, uma junção das duas últimas.
Aspectos negativos: a dieta não possui comprovação científica quanto a sua eficácia; a dieta restringe grupos alimentares importantes que podem levar a sérias carências nutricionais; não determina quantidade de alimentos, não incentiva a alimentação saudável nem o acompanhamento com profissional.



DIETA ORTOMOLECULAR

Característica: baseia-se nos princípios da medicina ortomolecular, a qual propõe que muitas doenças podem ser prevenidas ou tratadas através do equilíbrio químico. Estimula o uso de fórmulas de vitaminas, minerais, aminoácidos, pró-hormônios, etc.
Aspectos negativos: não existem evidências científicas que comprovem a eficácia da dieta; altas doses de vitaminas e minerais podem ser altamente tóxicas para o organismo e ocasionar diversas alterações metabólicas.



DIETA LIQUÍDA

Características: consiste em beber exclusivamente sumos de frutas e hortaliças, podendo também acrescentar as frutas e hortaliças in natura.
Aspectos negativos: não existem evidência científicas que comprovem sua eficácia; a perda de peso que a dieta proporciona é devido à perda de massa muscular; não promove a reeducação alimentar e compromete a vida social da pessoa; baixo valor calórico e baixo teor de proteínas e gorduras, causando cansaço e indisposição, podendo levar o indivíduo à desnutrição energético-proteica.



DIETA DOS PONTOS

Característica: nessa dieta, a pessoa controla os pontos ao invés das calorias dos alimentos. Cada ponto corresponde a cerca de 3,6 calorias, baseado no seu valor nutricional. A pessoa deve anotar o que come durante o dia e fazer a soma, que não deve passar de 300 para as mulheres e 400 pontos para os homens.
Aspectos negativos: a dieta focaliza apenas a quantidade de alimentos consumidos, sem incentivar uma alimentação nutricionalmente equilibrada. Dessa maneira, os pontos podem ser atingidos facilmente com alimentos calóricos, ricos em gordura e pobres em nutrientes; baixa adesão à dieta, pela necessidade de consultar a tabela, anotar rigorosamente tudo o que se ingere e calcular os pontos; a provável carência de nutrientes pode prejudicar a saúde e acarretar problemas como anemia, osteoporose, queda de cabelo, entre outros; não promove reeducação alimentar, sendo difícil manter o peso perdido.




ENVIE ESTE ARTIGO POR EMAIL PARA UM(A) AMIGO(A) >>