Biblioteca acolheu lançamento do livro de João Barbosa “O baloiço”

Biblioteca acolheu lançamento do livro de João Barbosa “O baloiço”

Biblioteca acolheu lançamento do livro de João Barbosa “O baloiço”

Biblioteca acolheu lançamento do livro de João Barbosa “O baloiço”

A Biblioteca de Alcochete acolheu, no dia 14 de outubro, a cerimónia de lançamento do livro “O baloiço” com texto de João Barbosa e ilustrações de Geandra Lipa, numa edição da Alfarroba.

A vereadora da Cultura, Raquel Prazeres, deu as boas-vindas a todos. “É agradável ter uma casa cheia e a Biblioteca tem a missão não só da promoção da leitura mas também da cultura e da informação e na Biblioteca, como nos seus polos em Samouco e São Francisco, é disso mesmo que se trata: de promover a cultura e a leitura das mais variadas formas”, disse. A autarca destacou ainda o trabalho em parceria já desenvolvido com a editora Alfarroba, que tem a sua sede em Alcochete.

Andreia Salgueiro (Geandra Lipa), Graciete Correia e Xana Lopes foram responsáveis pela apresentação da obra e do autor, que é professor de Físico-Química na Escola EB 2,3 El-Rei D. Manuel I, Mestre em Filosofia, Doutorando em Filosofia Ética Ambiental, fundador da Sociedade de Ética Ambiental e enólogo nos tempos livres.

“Hoje vamos falar do poeta que gosta de escrever para crianças, um homem íntegro, uma alma simples que nos apresenta uma escrita transparente e fluida”, disse Graciete Correia, sublinhando que “as suas comunicações são profundas e projetam-nos para pensamentos que nos envolvem carinhosamente (…) porque tocam as nossas vivências”.

Também Xana Lopes falou do autor e da sua obra “O baloiço”. “Torna-se fascinante a facilidade com que o João leva o leitor a identificar-se com a vida retratada no vaivém do baloiço e a reconhecer em cada personagem as pessoas que fazem parte da sua cadeia familiar”, disse.João Barbosa referiu que “O baloiço” é o quinto livro que publica na editora Alfarroba e o terceiro livro que é ilustrado por Geandra Lipa, a quem fez um rasgado elogio na medida em que “conseguiu superar o texto, expandi-lo e enriquecê-lo e criar em conjunto com o texto o livro, que me parece cheio de detalhes, subtilezas”.

Para o autor, “O baloiço é um livro que se pode ler num minuto, é verdade, mas este minuto é uma espécie de uma cápsula no tempo, corresponde a muito mais que um minuto (…) é uma metáfora sobre o ciclo da vida, a passagem do tempo, tem a ver com a memória, com o sonho, a leveza e é um baloiço especial porque está suspenso em balões”.

O evento contou ainda com dois apontamentos musicais e com a leitura de um poema.



EM DESTAQUEÚLTIMAS NOTÍCIAS DE Alcochete - VER TODAS

 


FB